Zumbi quer achar:

29 de dez de 2015

Motörhead - Motörizer (2008)

Faltando poucos dias pra 2015 acabar eu achava que não perderíamos mais nenhum ídolo como B.B. King, Christopher Lee, Wes Craven, Gunnar Hansen ou Scott Weiland... mas perdemos justamente O cara. Acho impossível gostar de qualquer vertente do que chamamos de Rock que apresente qualquer peso e não ser grato a Lemmy Kilmister.
Lembro de quando eu devia ter nove ou dez anos e vi pela primeira vez na TV um vídeo do Motörhead. Aquele trio cavernoso no palco era a coisa mais absurda e legal que eu já tinha visto. Desde então o trio passou a ser uma das minhas bandas favoritas e uma de minhas maiores referencias no que se trata de SOM. Costumava tocar com minha primeira banda o clássico Ace Of Spades, e me lembro de como dos poucos covers que tocávamos, essa era de longe a música mais pesada.
Em 2009 tive o privilégio de ver o Motörhead de perto. Já fui em inúmeros shows depois, mas NENHUMA abertura é tão poderosa quanto ouvir Lemmy dizendo "We are Motörhead! and We play Rock'n'Roll!" seguido pelo baixo ligado a uma parede de amplificadores começar as notas de Iron Fist...
Obviamente que faria um post em homenagem a ele que ensinou a todos nós que tocamos como tocar ALTO, mas fiquei na dúvida de qual play escolher. Gosto muito dos discos mais recentes do trio, então decidi postar Motörizer de 2008, pois foi essa a turnê que eu compareci. Quando foi lançado, a banda já tinha mais de 30 anos de estrada, mas apesar disso as músicas são bem inspiradas. Os destaques ficam com Where the Eagles Screams, Heroes e principalmente a fodendo ROCK OUT.

1. Runaround Man (2:58)
2. Teach You How to Sing the Blues (3:04)
3. When the Eagle Screams (3:44)
4. Rock Out (2:08)
5. One Short Life (4:06)
6. Buried Alive (3:13
7. English Rose (3:38)
8. Back on the Chain (3:25)
9. Heroes (5:00)
10. Time Is Right (3:14)
11. The Thousand Names of God (4:33)



Vá em paz e obrigado por tudo, Lemmy


Nenhum comentário:

Postar um comentário